Evandro e Claudia

Cairo e as curiosas pirâmides

EsfingeFizemos um mergulho na cultura e na história do Egito antigo durante nossa visita às pirâmides em Giza próxima a Cairo.  Acompanhem com foi esta viagem que pela primeira vez utilizamos uma agência de turismo local para nos acompanhar.

 

Saímos de Atenas no dia 15 de setembro as 11 da manhã. Nosso vôo foi muito tranquilo e chegamos na capital do Egito às 14h. Deixamos o aeroporto com destino ao nosso hotel e decidimos jantar em um barco passeando no Nilo. O rio Nilo é a fonte de vida para todo o Egito e divide o deserto ocidental do deserto oriental.

 

O navio restaurante saiu no horário e foi um excelente jantar com direito a dois espetáculos típicos: um de dança do ventre e um outro feito por um rapaz rodopiando o tempo todo com uma saia colorida com a qual ele fazia diversos movimentos. Foi realmente muito impressionante. A Cláudia pagou um mico quando foi chamada para rodopiar com a roupa dele. Vejam no vídeo.

Na quinta-feira pela manhã deixamos o hotel logo cedo para visitar as Pirâmides, nosso hotel já era localizado em Gizé e inclusive nos permitia ver uma delas pela janela de nosso quarto. O guia nos informou que iríamos iniciar a visita as 08 da manhã devido ao calor. E realmente o calor é bem intenso. É sempre bom ter um bom protetor solar e um chapéu. Por isso recomendamos também este horário. Quanto mais cedo melhor.

 

As famosas pirâmides do Egito


Nem precisamos dizer o quanto é mágico estar de frente para elas e ver de perto a magnitude de tão antigas construções. As pirâmides que visitamos eram os locais em que os sarcófagos dos faraós Quéops, Quéfren e Miquerinos estavam guardados. Estima-se que as mesmas foram construídas em 2700  a.C.

Segundo a lenda dos antigos egípcios os faraós e as pessoas importantes eram embalsados e seu corpo e juntamente com as víceras eram colocadas dentro da pirâmide para que eles pudessem se conectar ao deus maior deles o deus Rá (ou o deus Sol). A pirâmide maior que visitamos é a Quéops. Sua altura original era de 146 metros, mas devido ao tempo, a perda do revestimento e a queda de parte do topo atualmente tem apenas 137 metros. Ela era originalmente revestida externamente com pedra calcária polida, fazendo-a brilhar com a luz do sol e tornando-a visível a quilômetros de distância. Tal revestimento foi saqueado. É considerada uma das 7 maravilhas do mundo antigo dada as suas dimensoes e a perfeição de sua construção. Tem um ângulo de inclinação de 52 graus e suas pontas coincidem com os pontos cardeais.

 

Além das grandes pirâmides visitamos com o auxílio de nosso guia Ehab a famosa Esfinge. A estátua metade homem metade leão representa a união da inteligência humana com a força do leão. Ela é toda feita em pedra calcária. Dizem os estudiosos que próximo das pirâmides havia um grande bloco desta pedra e que seria muito trabalhoso retirá-lo de lá. Então os sacerdotes ordenaram a construção da esfinge para aproiveitar este bloco e homenagear ao faraó Quefrén. Não se tem registro exato de quando foi quebrado o nariz. Ao que tudo indica foi uma deterioção natural da pedra visto que o calcário por sí só já é bastante frágil.

 

De perto elas são bem grandes! Reparem no tamanho dos blocos.Da Esfinge seguimos direto para o Museu do Cairo. Podemos afirmar que pela primeira vez nesta viagem realmente gostamos de visitar um museu. Não pela estrutura dele até por que é muito ruim, tem pouca ventilação e a conservação do mesmo é muito pobre. Mas o que ficamos encantados foi como o guia conduziu a visita. Percebemos que o Eheb é apaixonado pela cultura egípicia e com grande maestria nos fez ficarmos também encantados e ao mesmo tempo abarrotados de tanta informação, nomes e deuses. É claro que esquecemos e ainda esqueceremos vários destes nomes, mas muito dos rituais, símbolos e fatos da história do Egito estarão gravadas eternamente em nossas mentes.

 

Descobrimos duas coisas no mínimo curiosas. Um dos faraós que já ouvimos falar bastante é o Faraó Hamsés II, na verdade ele não foi um grande Faraó, mas foi muito inteligente e pode até ser considerado como um “ladrão e aproveitador” de esculturas. Vamos explicar melhor:  Dizia uma lenda egípcia que quanto mais o nome de um faraó fosse pronunciado maior seria a força deste após a sua morte. Daí Hamsés foi muito inteligente em colocar o seu nome, sempre gravado em um símbolo egípcio chamado de cartucho, em várias esculturas inclusive modificando antigas marcações de outros faraós. Isso fez com que seu nome fosse encontrado em várias e várias relíquias e seu nome assim fosse e ainda é amplamente divulgado.

Tá vendo pessoal, acho que tivemos um belo exemplo de marketing pessoal de milhares de anos atrás. Hehe

 

A outra curiosidade é que o também famoso Tutankhamon na verdade não foi um grande faraó. Ele governou apenas 9 anos o Egito e morreu muito novo, aos 19 anos. Sua fama vem na verdade do seu valor arqueológio pois pela primeira vez os historiadores conseguiram encontrar uma tumba praticamente intacta, sem nenhuma ação de saqueadores. Daí foi possível aprender muito sobre a vida de um faraó. A tumba dele tinha proporções imensas e praticamente tudo era foleado a ouro, uma oferenda dos sacerdotes ao Faráo que havia retornado os privilégios dos mesmos e a adoração aos diversos Deuses egípcios. Todos os artefatos encontrados estão expostos no museu do Cairo. É uma das seções mais importantes. E só por ela já vale a visita ao museu.

 

Após o museu fomos almoçar. O guia nos levou em um restaurante turístico. Não gostamos é claro, mas como a fome era grande, aceitamos. Uma fruta da sobremesa que experimentamos foi a Tâmara, muito gostosa por sinal.

 

Após o almoço tivemos uma decepção com a empresa de turismo. Na verdade entendemos que toda empresa de turismo tem sérios problemas. Eles sempre querem nos atolar de passeios adicionais e é claro ganhar dinheiro com isso. Como não compramos nenhum destes, ficamos com um grande tempo ocioso. E aí percebe-se que faltou informação e vontade deles em nos avisar que poderíamos ter extendido nosso tempo nas pirâmides ou até mesmo no museu. Ficamos praticamente 5 horas na estação de trem aguardando o nosso trem noturno que nos levaria para Aswan o próximo destino.

Fica aí a dica: Saiba que ao escolher uma agência para te acompanhar você tem o grande benefício de contar com um guia, que no caso do Egito nós recomendamos fortemente, pois o local é muito rico em história e nós brasileiros sabemos muito pouco dela. Mas você terá que saber lidar com a constante oferta de pacotes opcionais bem caros, restaurantes turísticos também bem mais caros e passeios “estratégicos” por lojas de perfumes e de no caso de Cairo de museu de Papiro que se trata de maior falcatrua do mundo para te vender coisas por preços exorbitantes.

 

Bom, estamos aprendando a lidar com estas coisas mas foi uma escolha nossa. Até o momento acreditamos ser a acertada. O Egito é um país muito pobre e não saber nada de Árabe pode te colocar em situações de risco. Os egípcios são muito invasivos e não respeitam muito o seu espaço pessoal. Sempre estão te oferencendo coisas para comprar e te pedem dinheiro (propina) a todo momento. Até mesmo para usar o banheiro do aeroporto tivemos que dar moedinhas para eles. Assim a presença de um guia te poupa de algumas furadas que poderiam acontecer se estivéssemos sozinhos.

É isso aí continuem nos acompanhando por esta maravilhosa aventura pelo Egito em nossa viagem volta ao mundo.

 

{sfx rss='http://picasaweb.google.com.br/data/feed/base/user/evandroeclaudia.com/albumid/5524726606910391793?alt=rss&kind=photo&hl=pt_BR'display='album'}

 

Link Picasa: http://picasaweb.google.com.br/fotosevandroeclaudia/Cairo

 

Informações Adicionais

 

Como foi falado no texto pela primeira vez utilizamos o serviço de uma agência de turismo:

Sanabel Tours – Contato: Hossan El Fangary (escreve e fala em Português)

Email: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Com a gente não houve nenhum problema grave. Demos nossa opinão sobre o serviço neste relato de Cairo e também nos demais. A opção de fazer ou não um pacote turístico com a Sanabel é de cada leitor. Aqui estamos utilizando o nosso espaço para fazer apenas uma indicação e não nos responsabilizamos e nem intermediaremos nenhum contato.